segunda-feira, julho 05, 2010


Origem dos nomes dos esmaltes

7
Oi Suas lindas,
 Como foi o findi? Eu me empanturrei de lasanha e bolo prestígio no domingão e, putz grila (gíria idosa mas tudobem) me deu uma azia monstrooo.I will survive.
Também sobrevivi ao trauma do mês de JUNHO por nunca ter sido eleita Miss caipirinha na 2 série, imagina : vc vender votinho pra todo mundo do teu prédio, família, pro mendigo da praça se bobear, e a filha da dona da escola SEMPRE ganhava.
 
Também lembrei, quando era junho, na escola tinha batizado de boneca, com direito a tia de educação física vestida de padre,comidinha,e a gente podia escolher um padrinho e é claro q sempre escolhíamos o menino que a gente gostava só pra ficar mais de pertinho e talz ,(a minha vítima era o Alex/ paixão da terceira série) e depois vinha férias de Julho, e idas ao Playcenter correr da Monga,
fazer viagem insólita dentro da EVA ,
 ...ou seja, tenho álibi suficiente  pra hj ser meio goiabex... haha.
Vamos ao post longo, no melhor estilo fábula.
Como os esmaltes são batizados.

Na China, século III a.C., inventaram uma tintura para as unhas, parecido com o esmalte atual.
Mas bonitos como conhecemos hoje, só  mesmo apartir de 1925.
Era um rosa vovó, aplicado de um jeito peculiar: o esmalte era passado somente na metade da unha, o famoso "meia-lua".
Antigo ou não, registros jurássicos que eu não sei te responder quando exatamente cada esmalte ganhou seu próprio nome, importante é que cada esmalte é apelidado de uma maneira e isso só facilita muuuito a nossa vida.
Chegar nas SUMIRÊS da vida e pedir o "Matte Magenta Impala", ou : me vê um Pandora, moça? só nos facilita néam?
Na Impala, por exemplo, os nomes são escolhidos de acordo com o conceito que a coleção quer passar para a consumidora. Por exemplo , na coleção ‘Divas’ foi feito uma pesquisa e selecionados uma série de possíveis nomes.
Depois foi feita uma triagem e excluídos aqueles que não combinavam com as cores.
O resultado dessa experiência foram as 12 tonalidades, com nomes como Marylin, Jackie, Madonna, Jane, Audrey, Catherine, Brigitte,Gisele.


Mulher busca esmalte  pela cor e não pelo nome, segundo Victor Munhoz, gerente de produtos da marca citada.(Hein? kkk)
Victor acredita que, mesmo os nomes sendo cuidadosamente escolhidos, a cor é quem manda. "O nome ajuda muito, mas a atração é primeiramente pela cor. Por ano, a Impala lança no mercado, em média, 60 nomes diferentes de esmaltes. E são necessários pelo menos 8 meses de trabalho para o desenvolvimento de uma coleção".  -quero muito esse trampo dele- 

A Big Universo tenta combinar nomes e cores. Surgiu por conta da paixão  de Gilmar Leite Siqueira - dono e químico responsável pela marca - pelo universo.O sentimento foi parar nos nomes ,que também possuem referências astronômicas. A fofa Clarissa ,gerente comercial da Orion Cosméticos,culpada pela BIG existir em nossas vidas conta que, antigamente, os nomes dos produtos eram escolhidos de acordo com a cor original.
Depois era  ligar as cores com algum elemento do universo. 
Atualmente, Clarissa afirma que "Está cada vez mais difícil manter o programa inicial para a escolha dos nomes. Agora, com 128 cores,(magavilha) não estamos mais conseguindo ligar o nome com a cor verdadeira, então vamos com o que achamos que combina melhor".

         Todos tem15,5 ml

Mas o conceito da Big  continua: colocar nomes do universo nos esmaltes. "Queremos, cada mês lançar uma cor nova, mas, com isso, fica cada vez mais difícil manter o perfil da marca", se diverte.

Tia Colorama lança  30 nomes/ ano."Acompanhamos nossos escritórios de Nova York e Paris as tendências de moda que estão nas passarelas e desenvolvemos cores e o tema-conceito da campanha. E é em torno desse tema que giram os nomes dos esmaltes", afirma Adriana Garcia, gerente de Produto, " o rosa Chiclete, por exemplo, é um nome feminino, jovem e irreverente. Combina perfeitamente com a cor vibrante e ousada do esmalte".
tô rosa chiclete com tanta abobrinha aqui

Flores, imaginem que sem graça seria o mundo mágico dos esmaltes, os nomes se limitassem a rosa 1, 2, 3, 4... ou Cintilante 45,46,  bléé  :o)

E cá entre nós, esmalte é um acessório , as marcas estão suando os vidrinhos pra se reinventarem, evoluirem como pokemons,e considerando a complexidade do cenário bloguístico as marcas tem um trabalhão em cores e nomes pra nos agradar e fazermos gastar os dinheirinhos nas idas a City. Um vidrinho contém muita felicidade para uma compulsiva. E vcs?

Obrigada por visitar, muita luz e vamos juntas num só coração -

nooossa,tô brega hj.

Beijoka!!!!!

7 comentários:

Mariana disse...

Ainda existem algumas marcas que batizam com números os esmaltes.
Acho muito sem-graça, tem que ter um nome diferente e divertido.
Você é muito engraçada, morro de rir com suas postagens.
Beijão!!!

Laila disse...

olá to aqui pra dizer q tem sorteio no www.cafefeminino.blogspot.com e vai até amanha a meia noite e o resultado saira dia 08 :-D ! beijoooooooooo

Taís Marçal Diniz disse...

Adorei seu blog...muito fofo!
Já estou seguindo!
Beijos!
http://myblogsaborear.blogspot.com/

Alessandra, disse...

oiiii adoro um nome diferente nos esmaltes,,, adorei tb a sessão nostalgia...bjs


www.mdemulhermoca.com.br

Betty Gaeta disse...

OI Flávia,
Eu já comprei esmaltes pelo nome. Comprei o Jackie e o marilyn, pq adoro elas e nem gostei tanto da cor. Tb comprei o audrey pelo nome e odiei a cor.
Bjkas e boa noite.

Daya Baxton disse...

Prefiro os esmaltes com nome mesmo.. tem aqueles basiquinhos q nunca saem de moda por exemplo, o via lactea, por exemplo conheço desde criança.. rsrsr

Meninaa!! Bio Extratus é tdo de bom mesmo.. amo aquele creme, o chato eh q eh meio salganho os shampoos e outras coisas da linha..rsrs

bjs

Betty Gaeta disse...

Oi Flavinha,
Estava sentindo a sua falta. Já ia puxar suas orelhas!
Bjkas e uma ótima quinta-feira para vc.